GameClube Portal de Notícias de games

Ark: Survival Evolved é divertido e impressiona

371

Ark: Survival Evolved é um game de ação em primeira pessoa, para Windows, Mac, Linux, Xbox One, PS4, Android e Iphone no qual o jogador deve sobreviver em uma ilha dominada por tribos e enormes dinossauros. O jogo impressiona com os gráficos e mundo aberto, porém, aposta na jogabilidade mais do que batida, no estilo de títulos como DayZ. Confira a análise do novo título.

Matar ou morrer

Como todo multiplayer de sobrevivência, Ark: Survival Evolved traz fórmula que pode ser tanto frustrante quanto divertida. O título coloca o jogador no papel de um sobrevivente, sem roupas ou armas, na ilha repleta de praias, florestas, tribos, construções aliens e dinossauros colossais, uns mais amigáveis que outros.

Durante suas tentativas de não sucumbir aos perigos da ilha, é possível coletar materiais, construir ferramentas e armas, montar acampamento e até mesmo domar animais para usar em colheitas, lutas e transporte. Tudo depende de como você administra seu tempo, recursos e encontros entre animais e dinossauros no mapa. No geral, o game possui mecânica simples, bem divertida e repleta de possibilidades estratégicas.

No entanto, nada disso é novo ou revolucionário. As mecânicas de combate e construção são muito parecidas com as de DayZ e H1Z1. Ou seja, o jogador coleta, constrói, luta e repete a mesma sequência de várias formas diferentes. Não há morte permanente, mas o personagem sempre perde todos os itens e deve começar do zero novamente.

Ainda assim, a receita dos multiplayers online continua acertando em termos de diversão e Ark: Survival Evolved não é exceção. Domar dinossauros enormes e entrar em disputas de tribos é muito divertido, principalmente ao lidar com circunstâncias imprevisíveis que podem acontecer nas diferentes regiões do mapa. Além disso, os comandos são fáceis de aprender e os combates acontecem a um clique do mouse.

Ao começar um novo jogo, Ark: Survival Evolved possibiliza a personalização de um sobrevivente homem ou mulher e a escolha de uma região da ilha para começar. Dependendo do local de início, você encontrará outros jogadores, dinossauros, criaturas raras e extintas, além dos diferentes efeitos climáticos que o game pode oferecer.

Para quem está familiarizado com jogos de sobrevivência, Ark tem mais do que uma ou duas semelhanças com DayZ. Os sistemas de combate, efeitos climáticos, fome, sede e danos também estão presentes no game. Ou seja, o personagem precisa manter o corpo e mente saudável para não morrer por status negativos como envenenamento, desidratação ou hemorragia. É necessário guardar recursos e comida para comer e se hidratar, seja por meio de caça ou exploração de árvores.

No menu, você encontra informações essenciais do personagem, como pontos de estamina, vida, entre outros. A cada ação – caçar, matar ou coletar – ele ganha experiência. Essa pontuação avança o nível do sobrevivente, o que garante engrams para comprar novas receitas de construção mais avançadas, como armas melhores ou casas. Mas alcançar essas receitas demanda um certo tempo, ou seja, sobreviver acaba se tornando uma tarefa mais difícil se o seu nível for baixo.

O que nos leva ao combate de Ark, no qual o jogador ganha a maioria dos pontos de experiência. Ele é divertido, porém, não parece ser o sistema ideal. Ao usar armas, como machados ou marretas, as lutas podem parecer um pouco desajeitadas em primeira pessoa. Basta mirar e clicar repetidas vezes com o mouse para desferir vários golpes. Não há nada muito novo ou diferente disto, o que deixa o combate tedioso.

Já o sistema de construção é simples e fácil de entender. Pegue os materiais necessários, clique no item e ele estará pronto. Mas a simplicidade só fica no processo de criação, já que o game traz uma lista extensa de itens que podem ser fabricados pelo personagem. Criar é uma das partes mais divertidas de Ark, principalmente na hora de inventar armas novas e melhoradas para matar dinossauros e outros jogadores.

Gráficos

Em termos gráficos, Ark: Survival Evolved realmente impressiona. Os cenários são belíssimos, detalhados e muito reais. Os efeitos de movimento, água e clima são bem caprichados até mesmo nas opções gráficas mais baixas. Cavernas secretas, estruturas alienígenas e todas as áreas exploráveis do mapa são quase um espetáculo à parte. O único problema na hora de apreciar essas paisagens é a otimização do jogo.

Não há como negar que Ark é um game pesado, tanto em tamanho quanto em requisitos. As telas de carregamento são demoradas e o jogo apresenta problemas de renderização, texturas que demoram a carregar e alguns bugs na hora de mostrar os animais no mapa. A boa notícia é que o game ainda está em acesso antecipado, ou seja, todos esses pontos negativos ainda podem ser corrigidos com a ajuda dos próprios jogadores.

 

9.3
Conclusão

Ark: Survival Evolved tem muito a oferecer para os fãs dos jogos de sobrevivência O título é muito divertido, impressiona com gráficos belíssimos e se mantém fiel à fórmula dos multiplayers online, como H1Z1 e DayZ, só que com dinossauros e animais extintos. Mas ao mesmo tempo, ele não apresenta nada de novo ou revolucionário em termos de mecânicas e jogabilidade, o que pesa negativamente para quem procura algo inovador. No geral, Ark é uma aventura reciclada que acertou em cheio e tem tudo para ser melhorada com o tempo.

  • GRÁFICOS 100%
  • JOGABILIDADE 90%
  • DIVERSÃO 90%
  • SOM 90%

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.